terça-feira

mais conclusões



A cadeira e a mesa
Os papéis
Da repartição

Elementos de um dia, de uma energia padronizada que não faço parte, um silêncio e uma concentração, só entendem os fazedores de trabalhos introspectivos. Não sou eu esse. É um outro que habita. Os sonhos podem mudar infinito, os desejos, os desejos de antes não são os cumpridos hoje: cumprir presença em vermelho e em silêncio vai matando aos pouquinhos as vontades de expandir expandir expandir experimentar. É isso. Devo estar silenciando e não quero. Devo não, estou. A capacidade de criar e comunicar, gritando, tão forte antes, já está parecendo violetinhas de banheiro, sabes? Aquelas plantinhas sem graça alguma que ficam lá, paradas e morrendo devagar até morrerem.

Alguma saudade de. De palco, câmera de vídeo, microfone. Tem um sentido bonito nisso tudo. Tempo perfeito para abandonar a energia opressora, mandar esse silenciozinho essa passividade para longe.

Realinhando as órbitas dos planetas por aqui. Tudo entrando nos eixos, na ordem que é a minha, desordem. Acho que já falei sobre isso.

Um comentário:

moira disse...

energia padronizada, silêncio, concentração.....é......coisas de Secretaria!!!! sei bem... não vire violetinhas na janela não, amiga....eu sei que vc nasceu pra ser espada de São Jorge...aquela pontuda, que penetra.
bj