sexta-feira

DOS POEMAS

Oh. tu. que dá
sentido à minha
janela.
e faz de minhas
mãos
algo que não quero
perder.
e faz de meus
sentidos
algo que não quero
perder.

*
tão mortal
quanto
Sêmele
cuido de cuidar
ze
lo
sa
men
te
dos excessos
que criei
com devoção

assim, então,
cuido de dormir não-dormindo
pra impedir que o destino, tão
distraído, se desvie.

Um comentário:

Lu Marra disse...

"... que dá sentido à minha janela" que coisa mais linda, mulher. Essa vale um beijo na sua mão.