sexta-feira

existencial.



um despertador
um relógio
de ponto
ou qualquer outra coisa
macabra
e insuportavelmente
severa

poderia muito bem, eu,
ser bedel de escola,
legislador,
ou qualquer outra coisa
de sobrancelhas
constantemente
tensas

apesar de combater
todo o externo
que assim se apresente

apesar de
querer ser
gaivota

3 comentários:

Lu Marra disse...

Lu quer um dedo da cachaça da Medéia rs. Eita p...., trem bonito demais da conta!!!!

Thata disse...

e não são as gaivotas o bedel dos peixes?
bjim!

flópe disse...

uau adorei o poema seu e o dessa thata aqui em cima, que lindo ju!