quarta-feira

PORTRAIT


cena de Acossado. Godard, 1959.

QUERIDO PETER,

Bom saber que as composições estão indo bem, querido. Você sabe o quanto admiro essa sua paixão e o quanto quero que você nunca perca.
Desculpa a demora para responder sua carta. Sei que você está bem. Quanto a mim, a essa demora, me defendo dizendo que a demora foi por causa da sua pergunta. Como eu estou. Como eu estou? Fiquei esses dois meses pensando e acho que agora posso responder. Responder, não, meu querido. Tentar, isso sim.
Não me sinto à vontade com meu corpo. Sim, Peter, o lado de fora mesmo, a parte física. Estou me achando sem jeito, meio desengonçada, paralela. Peter, você não imagina o que é isso, não pode imaginar. Passo dias sem comer e dias comendo demais. É. Ansiedade também, amado, está me matando. Não sei se por causa do corpo, não sei se por outra coisa ou o que influencia exatamente o que. Sei que está desconfortável ser, e estar. Inconfortável. Acho o tempo todo que não vou dar conta, que falta inteligência. Sabedoria, sabe?
Além disso ando com muita dificuldade de concentração. Falta algo enquanto faço qualquer coisa, minha cabeça fica nas nuvens e repleta. Abandonei Nina com alguma dor, quero ela de volta e vou lutar por isso. Agora me surge Eva. Estou apavorada para enfrenta-la. Eva e Charlotte. Será que é assim mesmo criar, Peter? Esse pavor, esses nervos? Me diga, você que vive disso, dos teus processos.


Ah. Peter. As perspectivas não me chegam.


Fora tudo isso, meu amigo, estou amando desesperadamente. Estranho, não? Pode ser daí essa ansiedade. Sei que é a pessoa mais única, mais querida e mais impossível para mim. É uma preguiça de mundo, vontade de passar tempos suspensos, e o outro.

Bom, querido, chega de mim por agora, né? Novidades: aqui faz aquele tempo que você tanto gosta, frio, sol, frio. Tomás e Jô assumiram de vez, estão indo para o Chile. Viajar, viajar. Dé terminou tudo mesmo e está feliz, arrumou um siamês. Japa quebrou o braço, mas já está tudo bem. Rô na mesma. E todos sempre lembrando de você na mesma mesa do mesmo bar.

Saudades.
Não deixe de.
Abraço e carinho enorme.

Nenhum comentário: