quinta-feira

Como fosse volta


Man Ray, Noire et Blanche, 1926.

Tirar a poeira dos móveis. Abriu as cortinas e as janelas, atenta, o sinal era mínimo e ela que há tanto não espiava para fora. Então perfumou ela mesma perfumou a casa arrumou a cama limpou os cinzeiros lavou a pilha de louças acendeu incenso. Preparou-se e não sabia exatamente.
Para que. Era mínimo, era máximo.

Assim, tudo limpo por fora ela limpou a cara. Lavou os olhos. Escovou os dentes. Cremes. Loções. Unhas das mãos e pés.

Preparada para a volta tudo em harmonia a mais perfeita harmonia.

Olhou para a fruteira no centro da mesa no centro da sala.
As pêras estavam murchas.

*
DICA
PORNOGRAFIA PESSOAL (DE UM ILUSIONISTA FRACASSADO), de Nilo Oliveira.
Ed. Baleia.
acidental: 'Uma saudade teimosa socada no fundo do corpo como uma fome'. p.19.

Um comentário:

.saint disse...

eu também, Ju!