segunda-feira

vago n.1


Marina Abramovic, The Onion (performance), 1995

*

fluida compunha-se
inconcreta
paisagem soterrada em acreditares

- mitológica. Ser ruína, cantada em odes
mas desesperava, despertava, desesperava e via
era inútil desesperarse, a terra cobre
os olhos até últimos pensares

pois sim, minha filha
a velha pegava a mão, velha das cartas:
a lua, bem, a lua
a lua é uma coisa impressionante

2 comentários:

Marília disse...

linda... vc, a Abramovic e a lua, claro.

vocesabequem disse...

tentativa primeira

possível além sentir (interrogação)
existir
sem não quero
mais
muito mais

entre dormir e acordar
e todos os entres depois.

sem você
cem vezes você.

pobres palavras,
sofrem.
conjugo errado
talvez
em português
se pá,
je sais pais (epontofinal)