quarta-feira

pra quem se pergunta o que são as F(r)icções Biográficas, tem esse blog e esse texto também

F(R)ICÇÃO BIOGRÁFICA
Tentiva #5: com Juliana Amato

"- Começamos num final de semana, mas a segunda vez demorou pra chegar. Estávamos cansados das páginas, queríamos ouvir nossas palavras pelo som. O melhor seria achar alguém como nós, mas eu nem tentava. Ela era uma pessoa agradável, uma dupla funcionaria.

E foi. O Camones foi formado em 2009 e ah, vocês sabem, né? Não vou ficar aqui contando os degraus do sucesso que subimos dos bares da Rua Augusta até a turnê portuguesa Sacudindo o Gigante Adamastor. Sim, com ela o punk nunca mais foi o mesmo. Não tô aqui me vangloriando, são palavras de Marky Ramone e de todas as viúvas lusitanas.

Com o Camones, a Ju conseguiu finalmente aprender a tocar meia lua e a bater palminhas no ritmo. Daí, fomos mais fundo nas raízes brasileiras: gravamos o especial de carnaval Maxixe de Assis: suor e adultério no ar; fizemos a compilação dos shows com o Forrimbaud no dvd Uma temporada no inferno - os piores risca-faca do Brasil.

Decaída? Talvez. Mas vocês tem de concordar que o grau técnico se aprimorou. Tudo bem, nos tornamos mais distantes nessa época: cada um produzindo suas palavras-valise, o que funcionava bem se a gente for ver quantas pessoas iam às raves do Dance Joyce.

Mas é, a técnica não basta: algo em nós não fazia mais sentido. E então eu vi que tudo precisava acabar. Meu projeto solo, o Waltz Whitman, não rolou, não sei, eu não estava bem.

O resultado deste disco é realmente surpreendente. Sem mais, por ora."

.

Mario Sagayama - em declaração sobre o lançamento de mais um disco da Mc Dickinson

Nenhum comentário: